Atendimento ao Cliente
71 3338.8555

NOTÍCIAS

Cientistas apontam mais oito tipos de câncer ligados ao excesso de peso

Quilos em excesso podem aumentar o risco de câncer de cólon, esôfago, rim, mama e útero.

Atualizado em 30/08/2016

Estar acima do peso pode aumentar a probabilidade de ser diagnosticado com câncer de estômago e do aparelho digestivo, assim como com certos tumores cerebrais e do sistema reprodutivo, disseram pesquisadores internacionais nesta quarta-feira (24).
 
Um relatório publicado na revista "New England Journal of Medicine" adiciona oito tipos à lista dos cânceres já conhecidos por serem mais comuns entre as pessoas com sobrepeso.
 
Em 2002, a Agência Internacional para a Pesquisa sobre Câncer (Iarc, na sigla em inglês), da OMS (Organização Mundial da Saúde), com sede na França, afirmou que os quilos em excesso poderiam aumentar o risco de câncer de cólon, esôfago, rim, mama e útero.
 
Agora, a agência adicionou os cânceres de estômago, fígado, vesícula, pâncreas, ovário e tireoide, assim como um tipo de tumor cerebral conhecido como meningioma e o mieloma múltiplo, um tipo de câncer do sangue, disse o relatório.
Pesquisadores analisaram mais de 1.000 estudos sobre excesso de peso e riscos de câncer e concluíram que limitar o ganho de peso ao longo de décadas pode ajudar a reduzir o risco desses tipos de câncer.
 
"A incidência do câncer devido ao excesso de peso ou à obesidade é mais extensa do que o que foi pressuposto", disse o presidente do Grupo de Trabalho da Iarc, Graham Colditz, da Escola de Medicina da Universidade de Washington, em St. Louis.
 
O câncer muitas vezes surge sem explicação. Suas causas podem incluir vírus, poluentes, fatores genéticos e radiação. Certos fatores de estilo de vida, como o tabagismo e o excesso de peso, também podem tornar uma pessoa mais propensa a ter câncer. Acredita-se que cerca de 9% dos casos câncer entre as mulheres da América do Norte, Europa e Oriente Médio estejam ligados à obesidade, disse o relatório.
 
A gordura extra pode promover inflamação e levar a uma superprodução de estrogênio, testosterona e insulina, que podem impulsionar o aumento do câncer, acrescentou o estudo. Cerca de 640 milhões de adultos e 110 milhões de crianças no mundo são obesos.
 
"Fatores de estilo de vida, como uma dieta saudável, manter um peso saudável e fazer exercício, além de não fumar, podem ter um impacto significativo na redução do risco de câncer", disse Colditz.
Fonte: Folha de São Paulo