Atendimento ao Cliente
71 3338.8555

DR. LEME RESPONDE

Dr. Leme Responde: Como combater o colesterol ruim e estimular o bom?

Em nosso organismo, o colesterol desempenha funções importantes, como produção de hormônio e vitamina D.

Porém, o excesso de colesterol no sangue pode formar placas de gorduras na parede das artérias, dificultando o fluxo sanguíneo ou até mesmo obstruindo essa passagem podendo ocasionar infarto e derrame (Acidente Vascular Cerebral – AVC).

Em nosso sangue, existem dois tipos de colesterol:

LDL colesterol: conhecido como "ruim", ele pode se depositar nas artérias e provocar o seu entupimento.

HDL colesterol: conhecido como "bom", retira o excesso de colesterol para fora das artérias, impedindo o seu depósito e diminuindo a formação da placa de gordura.

Muitos fatores podem contribuir para o aumento do colesterol, como tendências genéticas ou hereditárias, obesidade e atividade física reduzida. No entanto, um dos fatores mais comuns é a dieta.

Colesterol alto é uma doença silenciosa. Logo, a sua identificação ocorre somente por exames de sangue que devem ser solicitados por um médico.

O tratamento é baseado na mudança do estilo de vida, incluindo dieta equilibrada, exercício físico aeróbico (caminhada, corrida ou ciclismo de 3 a 6 vezes por semana, por 40 minutos), deixar de fumar (o fumo leva à queda do colesterol bom - HDL) e perda de peso (se necessário). Em alguns casos é necessário o uso de medicamentos.

 

Alimentos ricos em colesterol:

Bacon – Chantilly - Ovas de peixes

Biscoitos amanteigados

Doces cremosos - Pele de aves

Camarão Queijos - amarelos

Carnes vermelhas "gordas"

Gema de ovos - Sorvetes cremosos

Creme de leite - Lagosta - Vísceras

Alimentos que ajudam a reduzir o colesterol:

Aipo - Couve-de-bruxelas

Bagaço da laranja

Ameixa preta - Couve-flor

Mamão – Amora - Damasco

Mandioca - Azeite de oliva

Ervilha - Pão integral - Aveia

Farelo de aveia – Pêra - Cenoura

Farelo de trigo - Pêssego

Cereais integrais - Feijão 

Quiabo – Cevada - Figo 

 Vegetais folhosos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Dra. Maria Betânia Senna